O sol e os cuidados a ter com a pele do bebé

 

O SOL E OS CUIDADOS A TER COM A PELE DO BEBÉ

 

Com a chegada do calor chega a vontade de ir para a praia com os nossos pequeninos. Mas, quando temos um novo elemento na família temos quer mudar certos hábitos que tínhamos. Pois está provado que as queimaduras solares até aos 18 anos são as piores e são aquelas que normalmente dão origem a cancros de pele porque a pele até esta idade é mais vulnerável.

 

Quando temos um bebé com menos de um ano de idade temos ainda que ter muitos cuidados acrescidos. Está estipulado que até aos seis meses de idade o bebé não deve apanhar sol direto porque a sua pele é tão fina que é muito mais sujeita a queimaduras.

 

Quando vamos para uma saída ao ar livre com as crianças os cuidados devem começar em casa. Primeiro aplicar o protetor solar à criança 30 minutos antes de sair de casa, levar um chapéu de abas largas, óculos de sol, e roupa larga de algodão. Repetir a aplicação do protector solar de 2 em 2 horas.

 

Entre as 11h e as 16h é um horário a evitar por completo para exposição solar, nesta altura os raios UV estão muito intensos. Devo também lembrar que estes raios refletem tanto na água como na areia. Por isso se normalmente tentas resguardar o bebé de baixo do guarda-sol, nas horas de maior perigo, quero que saibas que ele não está protegido contra os raios UV.

 

Em relação aos protetores solares eles têm que ser utilizados todos os dias e não só quando vamos á praia com as crianças. Nos dias de verão coloque o protetor solar perto da porta de saída de casa e antes de sair coloque. Tenha atenção para não esquecer certas zonas como, o nariz, orelhas, parte de trás dos joelhos e pés, estas são zonas por vezes esquecidas. Escolha um protetor solar de largo espectro e 50+, ou seja, que proteja contra raios UVB e UVA. Para as crianças com menos de três anos é aconselhável utilizar um protetor solar mineral, que não tem filtros químicos que possam ser absorvidos pela pele. Os protetores solares minerais só são constituídos por filtros físicos. Esta questão é importante para que não se desenvolvam alergias. E também para que a pele da criança não absorva produtos químicos em grande quantidade.

 

Dicas Importantes

  • Os protetores solares com coloração são uma boa opção. Existem no mercado protetores solares de cor azul que facilitam aos pais saber onde já passaram o creme. Como as crianças nunca estão paradas, quando estamos a aplicar o creme, esta é uma boa técnica para ter noção que não falhou nenhuma área do corpo. A cor azul depois desaparece.

 

  • Para saber se a criança faz alergia a um novo protetor solar deve primeiro fazer uma aplicação durante 3 dias consecutivos numa porção de pele das costas da criança e ver se desenvolve algum tipo de vermelhidão ou comichão. Se assim for é porque faz alergia. Se ao fim dos três dias consecutivos não houver nenhuma reação é porque pode utilizar este protetor.

 

  • Existe ainda a ideia que é complicado para os pais utilizarem protetores solares com filtros físicos porque eles são bastante pastosos e mancham a roupa de branco. Mas esta ideia já não é real. Há neste momento protetores solares minerais em spray e que são muito fluidos e fáceis de espalhar não marcando a roupa.

 

Em jeito de conclusão sabia que às vezes bastam 10 a 15 mim para se formar uma queimadura solar e as queimaduras solares são muito dolorosas e ficam “marcadas” para toda a vida. Com os anos, a exposição prolongada e as queimaduras solares sucessivas conduzem a um envelhecimento acelerado da pele, a um enfraquecimento das defesas imunitárias, o que provoca determinados casos cancros de pele, e cataratas que podem conduzir à cegueira.

 

Vamos ter cuidado com os nossos pequeninos. Sol sim mas com moderação.