Primeiras férias a três

 

PRIMEIRAS FÉRIAS A TRÊS

 

Quando somos pais, percebemos que é necessário realizar alguns ajustes nas nossas vidas… normal, agora somos três! – mas “ ajustes” não significa que devamos abdicar da nossa existência! Férias, sair do espaço habitual e “ mudar de ares” continua a ser fundamental para que possamos abraçar o ano seguinte.

 

Além disso, férias quererá dizer tempo partilhado, tempo sem pressa, tempo para escutar e ouvir, tempo para olhar, mimar, namorar e retemperar energias.

 

Mais do que dar-vos uma longa lista de “ to buy stuff” , gostava que ao definir/planear as férias pudessem ter em conta estes pontos:

 

- Para onde ir – dependendo da idade do rebento, pensem se o destino desejado é práctico para estar, sem necessidade de grandes deslocações entre o local de pernoitar e o local dos banhos de sol e mar ou até talvez prefiram um local mais de montanha, com vegetação e praia fluvial…...

 

Essencialmente, assegurem-se que conhecem as condições gerais e particulares do local, para que possam munir-se dos recursos que consideram imprescindíveis.

 

- Meio de transporte – como chegarão ao local?

 

Avião? Então não esqueçam cruzar esta informação com o que referi no ponto anterior, afinal, com um bebé, um hotel/apartamento a “apenas” 1200m da praia mais próxima pode tornar a ida à praia num verdadeiro desafio! 1200 metros a dois, de mãos entrelaçadas e toalha ao ombro não são, seguramente, os mesmos 1200 metros que com um bebé de 6 meses, 3 guarda-sóis, saco de praia, saco de artigos de bebé, saco de brinquedos e merendeira!

 

Caso viagem de avião, pensem se vos é mais fácil levar o carinho de passeio, ou se optar por uma forma de babywearing pode ser uma solução mais prática.

 

- Onde ficar – quando viajamos com uma criança pequena ou bebé, há que ter em atenção quais são as condições disponíveis para assegurar as suas refeições, dado que quando optar por hotel terá quase que obrigatoriamente fazer as refeições em restaurantes ou no próprio hotel. Saber com o que conta é fundamental.

 

- Rotinas – sabemos que as rotinas são de elevada importância num desenvolvimento harmonioso, mas em férias há que haver alguma tolerância, há que relativizar um pouco as condicionantes que possam criar alguma alteração à rotina – sempre tendo em conta o bem-estar global, de todos os elementos da família. Se os pais não estão bem, o bebé não está bem!

 

- Recursos – sim, também devemos acautelar que temos o que nos é útil, para que estejamos relaxados nesse tempo tão precioso que são as férias.

 

OBRIGATÓRIO:   

- Documentos;

- Medicação – caso haja

- Caixa SOS – dependendo da idade do bebé/criança o recheio pode ter alguma variação – Paracetamol, curitas, álcool, água oxigenada, compressas, termómetro;

- Protector solar;

- Chapéu;

- Óculos de sol – sim considero obrigatória a utilização de óculos de sol por qualquer bebé ou criança - não é capricho, é conforto, qualidade de vida.

 Atendendo a que o bebé na cadeirinha está inclusivé bastante virado para cima, a forma como recebe a luz solar é intensíssima!

- Boneco favorito – para que tenha uma âncora sempre consigo, mesmo estando em ambientes que lhe são desconhecidos.

 

A PENSAR/PONDERAR em função de opções anteriores:

 

- Banheira consoante as condições do local de destino pode espreitar esta solução que é excelente para qualquer viagem , para ter em casa dos avós e até para levar para a praia! Pratica e económica, pois pode colocá-la dentro da banheira normal e de fácil transporte e arrumação!

 

- Cadeira da papa espreite esta opção, leve, lavável, portátil e segura em qualquer cadeira que seja fixada.

- Luz de presença tantas vezes não entendemos a “ birra” nocturna, o desconforto ao ir para a cama, e o de repente “ não adormece sozinho!”

 Muitas vezes esta situação é ultrapassada com a luz de presença que transmite calma e serenidade ao bebé que se sabe noutro local, com diferentes hábitos e rotinas.

 

LEVAR AINDA A BAGAGEM E O CORAÇÃO repletos de CALMA,BOM-SENSO E…  SENTIDO DE HUMOR!