Etiqueta e Protocolo perante uma Grávida

 

 

“Etiqueta e protocolo”

a aplicar quando perante uma grávida

 

 

Tantas vezes ouvimos barrigudas a contar peripécias mais ou menos divertidas sobre comentários que lhes teceram acerca da sua condição, que resolvi escrever este post, com os 5 temas mais sensíveis nesta matéria e qual a postura mais adequada a seguir.

 

- É o 1º filho?

Ok, a partir daqui devemos ouvir as partilhas e dar espaço à privacidade que a mãe “pedir”.

Um inquérito exaustivo: qual é o sexo? Onde vai nascer? Como se vai chamar? – pode ser considerado invasivo.

Deixar que seja a grávida a decidir o que quer partilhar, e mostrar interesse naquilo que é dito… Todos gostamos de ser escutados.

 

- É o 1º filho? Só agora?

Opps! A 2ª questão é desaconselhável. Não sabemos as razões pelas quais aquela mãe está a sê-lo pela 1ª vez naquela altura. Pode ter sido pela estabilidade emocional, pela estabilidade financeira, por dificuldade em engravidar… ao invés de criticar ou julgar , devemos felicitar! Sempre sabe bem ouvir: “PARABÉNS! É muito bem vindo o seu bebé!” Certamente a mãe irá apreciar e retribuir com um sorriso.

 

- É o 3º filho?

“ A sério! És uma corajosa! Hoje já ninguém tem 3 filhos!”

Ufa! Este tipo de comentários é desesperante!

Então? Será que cada família não tem legitimidade para decidir o número de filhos que quer ter?

Se pensarmos em nós e na forma como gostamos que respeitem as nossas decisões....tudo fica mais simples.

 

- Quantos kg’s já engordaste?

Falar acerca de peso com mulheres é um tema delicado… com uma grávida eu diria que é proibido!

Salvo se for a grávida a abordar o assunto, este é terreno de areia movediça! E, por isso, de evitar.

 

- Parto normal? Credo, não que dói muito?

Cada família tem o direito de escolher o seu tipo e local de parto.

Este tema é de enorme sensibilidade também.

 

O parto só pode correr bem onde a família se sentir segura. Impor aos outros o que funcionou bem connosco pode ser interpretado como abusivo.

 

Assim, escutar as opiniões e opções da família ou da grávida é o que se recomenda.

 

Claro que, sempre que houver espaço,circunstância ou for oportuno, aproveitar para elogiar, contar uma história (positiva! Sempre e só se for positiva) podemos fazê-lo. Afinal....comunicar é isso!

 

D’ Barriga… Há 9 anos consigo!