bomba tira leite a sua melhor amiga

 

 

Bomba Tira Leite – a sua melhor amiga!

 

Muitas são as mães que chegam ao D’Barriga – não raras vezes ainda grávidas – em busca de uma bomba tira-leite, extractor de leite ou qualquer outro nome que julguem menos “agressivo”.

 

Neste, como noutros assuntos, é nossa opinião que a mãe (casal) deve estar o mais sereno e tranquilo possível, pelo que, se é essa a  decisão do casal, é nossa função fornecer algumas dicas a ter em conta na hora de escolher e utilizar:

  • Quando posso ou devo utilizar este equipamento?

 

  • Não há um momento exacto para o fazer, há que ponderar e observar:

 

  • O bebé nasceu e tem que permanecer no hospital por mais tempo do que a mãe? – recorrer à bomba é uma forma excelente de acautelar que nos períodos que a mãe está separada do bebé o estímulo permanece;

 

  • Está no momento da descida de leite e, por isso, apesar do bebé mamar, no final da mamada ainda há um grande desconforto pelo facto da mama estar tipo “pacotinho de leite”, literalmente com excesso de produção? – aqui temos verdadeiramente um “pau de dois bicos”, pois se é um facto que utilizar a bomba esvazia e alivia a tensão e ingurgitamento mamário por outro lado, caso não tenhamos as devidas precauções, estaremos a dar ao nosso cérebro instruções para que produza… ainda mais… podendo haver aqui um efeito perverso e contrário ao pretendido…

 

 

(aconselha-se quer a leitura do “Manual de sobrevivência ao aleitamento materno”; quer a procura de aconselhamento / apoio à amamentação também disponível no D’ Barriga)

 

  • Ok, temos o bebé, tudo corre bem, mas a mãe quer ter a liberdade para sair sem o bebé (cabeleireiro, supermercado, ou qualquer outro sitio/ situação em que lhe seja mais conveniente sair sem o rebento)? – então a mãe deve, sim, ir fazendo extracções de leite que lhe permitam ter algum leite armazenado para que, quem fique com o bebé, possa dar-lhe leite materno (o alimento ideal em exclusivo até aos 6 meses de vida e de preferência consumido até aos 2 anos – conforme indicações OMS);

 

  • O bebé irá ficar aos cuidados de outra pessoa que não a mãe, antes dos seis meses de vida? – nesta situação é excelente que a mãe se possa antecipar criando reservas de leite e assim mantendo o bebé com leite materno até aos seis meses.

 

  • É uma mãe que gosta de estar prevenida? - criar alguma reserva de leite materno irá deixá-la tranquila e serena, pois saberá que “se” tiver  “aquele” ataque de nervos  às 04:00h da madrugada terá leite materno para o seu bebé.

 

Retenham ainda que o poder de sucção do bebé aumenta com o seu crescimento – o mesmo não se verificando com a bomba.

 

Considerem ainda que o bebé é um estímulo visual, olfactivo e táctil… é o vosso BEBÉ … sendo a bomba um estímulo mecânico (manual ou eléctrico), sendo por isso espectável que uma mamada do bebé corresponda a um aporte mais significativo do que uma “mamada extraída da bomba”.

 

  • Na hora de escolher a sua bomba veja do que gostamos:

 

  • Eléctricas:
    • LACTALINE – AMEDA – excelente para o uso continuado, bastante fiável super silenciosa e com possibilidade de funcionar a pilhas e sem perda de potência.
    • SWING – MEDELA – Marca de referência em produtos de apoio à amamentação, a MEDELA inova com a SWING por reproduzir a forma/ritmo de sucção do bebé.

 

  • Manual:
    • NUBY Excelente marca, aposta constantemente na inovação, a bomba manual da NUBY é a escolha perfeita para quem pretenda um investimento menor… com possibilidade de transformar em bomba eléctrica! Sim, é a única que conhecemos com essa versatilidade. O motor é uma peça vendida á parte, e que transformará a simples bomba manual num excelente equipamento eléctrico.

Este equipamento é o único, até ao momento e de que tenhamos conhecimento, que mesmo na sua versão manual permite regular a força de sucção – importantíssimo para momentos como o da descida de leite.

 

Esperamos com este artigo contribuir para o esclarecimento que permitirá aos pais decidir com a máxima assertividade.

D’ Barriga há 9 anos consigo!